O Convite Certo

Você já parou para pensar no tamanho da importância de um convite de casamento? Sem ele literalmente ninguém compareceria a um dos momentos mais especiais da sua vida, e ainda tem gente que não dá muito crédito e resolve pensar nele só na última hora. Vamos ser sinceros, receber um convite bem confeccionado e que deixe no ar aquela sensação de expectativa é algo bem mais interessante e especial para os convidados. Portanto, como já dizia o ditado “a primeira impressão é a que fica” e está na hora de reservar um tempinho para saber um pouco mais sobre convites.

 

 

Fazendo jus à célebre frase que fale sobre a primeira impressão, a designer Eilá Nigri reforça, “o convite é a porta de entrada da festa”. O mesmo é afirmado pela também designer Cláudia Haddad, da Papel à La Carte.

 

“Afinal, é ele que irá, além de informar o local e a data do evento, deixar a dica de qual será o estilo do casamento, se ele será clássico, moderno, descontraído… O importante é a harmonia entre ambos”, explica Cláudia. Além disso, a arte de confecção dos convites ainda vai mais longe da simples coordenação de cores e características do casamento. Entender a necessidade, ouvir as ideias e conhecer o perfil dos noivos também são etapas imprescindíveis do processo de criação, que farão do resultado ainda mais surpreendente e encantador.

 

Para Luiza Luf a sua missão como designer é “deixar as clientes com brilho nos olhos”, fornecendo o melhor serviço possível e atendendo a todas as expectativas. Segundo ela, o trabalho não se resume somente a compressão da decoração, mas também em descobrir o que os noivos desejam, percebendo as peculiaridades do casal para conseguir informações suficientes. “Dessa forma, conseguimos desenvolver projetos, mapeando o que eles mais gostam e, no fim, montar esse ‘quebra-cabeça’”, explica Luiza.

 

O mesmo acredita Marco Lucena, responsável pela empresa Lucena Convites. De acordo com ele, no momento da criação de um convite o que importa é o desejo e os sonhos do casal. Já no assunto tendência – um tipo de questionamento típico feito por jornalistas –, Marco afirma não ser uma prioridade, apesar de convites mais tradicionais serem os mais solicitados pelas noivas brasileiras.

 

Clássicos X Modernos

 

A dúvida na hora de pensar qual será o estilo, modelo, formato, caligrafia e o material (ufa!) do convite é um desafio para toda noiva que desconhece o assunto. “Afinal, elas não têm a obrigação de saber tudo a respeito de convites. Esse é o nosso trabalho: conduzir o casal até o que ele deseja, mesmo sem ter essa ideia clara na mente”, afirma a designer Luiza Luf. Portanto, nada melhor que deixar claro qual a principal diferença entre os convites clássicos e os modernos.

 

Segundo Marco Lucena, da Lucena Convites, os clássicos devem ser simples e sofisticados, sem imagens, com cores claras e cortes retos e simétricos. A tipografia é rebuscada com impressões em relevo francês (quando o papel fica em alto relevo) ou relevo Américo (quando a tinta fica levemente em alto relevo) e o uso de monograma e brasões complementam a estética. Quanto ao papel, o mais usado é o italiano e estilos encorpados.

 

Já os modernos, ainda de acordo com Marco, permitem um toque de ousadia em sua confecção e idealização. O uso de desenhos, caligrafias descontraídas e materiais diversos são liberados, podendo ousar até na mistura do papel acetinado com vinil ou optar por um estilo mais rústico, exemplifica. “Mas o importante é o bom gosto”, relembra o profissional.

“Só não vale esquecer que realizar um convite leva tempo”, ressalta Cláudia Haddad, da Papel à La Carte. De acordo com a designer Eilá Nigri o prazo ideal para iniciar as pesquisas e decidir o modelo do convite deve ser feito com pelo menos seis meses de antecedência.

 

Qual a combinação ideal?

 

♦ Clássico… O formato retangular/largo, ou o quadrado são os mais usuais. Já a tipografia deve ser bem desenhada e o tipo do papel mais encorpado.

 

♦ Modernos em geral… O que vale é a criatividade! O formato é livre e a letra pode ser informal e misturar diferentes fontes. O uso mais variado de cores é bem-vindo, assim como detalhes ornamentais.

 

♦ Clean… Noivos que desejam um convite “leve”, sofisticado e singelo, esta é uma ótima pedida. Invista em alta gramatura e varie entre os formatos quadrados ou tipo carteira.

 

♦ Rústico… Os papeis foscos com textura ou com acabamentos em sisal, couro, ráfia e flores secas são uma boa pedida, além de estampas. O texto pode vir em tom de verde musgo, marrom, ouro velho fosco, ou como o casal desejar.

 

♦ Cômico…  São bem livres, mas o que dará o tom de humor pode vir em uma caricatura ou descontração no texto.

 

O conteúdo do convite: dicas por Ricardo Stambowsky

 

♦ Nos dizeres, normalmente quem convida para o casamento são os pais, mas nada impede que, se o os noivos forem mais velhos ou já tiverem casado anteriormente, eles mesmos convidem

 

♦ Quando os pais são casados novamente, se os noivos quiserem, pode-se colocar o nome do padrasto ou da madrasta

 

♦ Nunca se esqueça de colocar a data, o local e o horário, além de informar se haverá cerimônia e comemoração logo após.

 

♦ Em caso de falecimento do pai ou da mãe colocar ao lado do nome (In Memoriam).

 

♦ Para os padrinhos não há necessidade de confeccionar um convite somente para eles. Para diferenciar, os noivos podem endereçar de forma carinhosa, como “aos queridos pardinhos”, e também adicionar um mimo, como uma garrafinha de champanhe, velas perfumadas, bombons…

 

♦ Não esqueça! É importante enviar o convite com pelo menos um mês de antecedência. Já para os convidados de outros estados ou países o aconselhável é o envio antes do evento 60 dias.

 

Texto: Isadora Keidel

Please reload